EMAFEL - Empresa Pública Municipal de Ambiente de Felgueiras, E.M.
16 de outubro de 2018
home


M
N E W S L E T T E R
M
 
 
APRESENTAÇÃO
Aterro Sanitário de Resíduos Industrias Não Perigosos de Sendim

Empenhada em ajudar os industriais do concelho de Felgueiras e dos concelhos limítrofes a cumprirem com as directivas da EU no tratamento dos resíduos, sensibilizada em controlar os perigos, para a saúde pública e para o meio ambiente, provocados pela antiga lixeira, a Câmara Municipal de Felgueiras levou a acabo a construção do primeiro aterro de resíduos industriais não perigosos do país, cuja gestão, exploração e conservação é assegurada pela EMAFEL, E.M.

O aterro de resíduos industriais não perigosos, localizado no lugar de Francoim, freguesia de Sendim, foi construído para o tratamento e acondicionamento de resíduos provenientes da indústria do calçado.

Mas em que consiste um aterro?

Um aterro sanitário é um terreno de grandes dimensões onde os resíduos sólidos são depositados de forma a evitar problemas ambientais ou de saúde pública. Nele, os resíduos são dispostos em camadas sucessivas, separadas por terra, até o aterro ser fechado, impermeabilizado e arborizado, de forma a ficar integrado na paisagem.

Para que ao aterro funcione de uma forma controlada durante a fase de deposição dos resíduos há uma série de procedimento diários que devem ser respeitados. Esses procedimentos incluem a compactação e cobertura regular com terras, controlando-se os odores, os insectos e a higiene do local.

Um dos problemas dos aterros sanitários consiste na formação de lixiviados  ou águas lixiviantes. Estas águas circulam entre os resíduos podendo contrair uma elevada carga de poluentes, que são perigosos para a saúde pública e para o meio ambiente. Para evitar a infiltração destas águas nos solos e nas águas subterrâneas, o fundo e as paredes do aterro sanitário são impermeabilizadas com telas (plástico). Na base do aterro é instalada uma rede de drenagem destas águas, de modo a serem conduzidas e tratadas numa ETAL (Estação de Tratamento de Águas Lixiviantes).

Durante a degradação bacteriana dos resíduos ocorrem ainda emissões gasosas, geralmente designadas por biogás. O biogás libertando-se para a atmosfera, contribui para o efeito de estufa (aquecimento global do planeta). Para controlar este problema são instaladas estruturas de drenagem deste gás, de modo a permitir o tratamento correcto do mesmo (queima, valorização energética).

Em suma, um aterro sanitário tem por missão o acondicionamento de resíduos de uma forma controlada, e em harmonia com o meio ambiente.

Caracterização geral da instalação

  • N.º de células do aterro: 4, com um volume total de 132 126 m3;
  • Início de exploração: 2001
  • Vida útil: 10 anos

A instalação é constituída, ainda, pelas seguintes infra-estruturas e equipamentos:

  • Rede de drenagem de águas pluviais;
  • Sistema de captação e drenagem de águas lixiviantes;
  • Poço de recolha e bombagem das águas lixiviantes e pluviais para a ETAL (Estação de Tratamento de Águas Lixiviantes);
  • Lava rodas;
  • Vedação com 2 portões de acesso;
  • Vias de circulação internas;
  • Armazém de recicláveis
  • Oficina 
  • Centro de triagem

Infra-estruturas de apoio:

  • Báscula;
  • Edifício administrativo e social;
  • Zona de parqueamento de viaturas;
  • Depósito de combustível;
  • Laboratório;
  • Edifício de apoio à ETAL

A Estação de Tratamento de Águas Lixiviantes (ETAL) é constituída pelas seguintes infra-estruturas, em sequência:

  • Lagoa Tampão;
  • Tratamento físico-químico (filtro de tela + tanque de mistura rápida + tanque de floculação + postos de doseamento de reagentes);
  • Lagoa de nitrificação;
  • Lagoa de desnitrificação;
  • Decantador;
  • Espessador gravítico.

 

Princípios gerais de gestão de resíduos

A EMAFEL, Empresa Municipal de Ambiente de Felgueiras, E.M., tem em conta a hierarquia dos princípios de gestão de resíduos privilegiando, sempre que possível, a redução na fonte bem como a valorização dos resíduos que gere, com vista à minimização da deposição de resíduos em aterro.

Resíduos aceites no Aterro Sanitário de Sendim

A EMAFEL, Empresa Municipal de Ambiente de Felgueiras, E.M., está autorizada a depositar no aterro, exclusivamente os resíduos não perigosos resultantes de determinadas fases do processo de fabrico de calçado e componentes para calçado entregues pelos Industriais deste tipo de actividade e aceites nas instalações da EMAFEL, E.M. que se listam de seguida:

CÓDIGO LER

DESIGNAÇÃO LER

04 01 08

Resíduos de pele curtida (aparas azuis, surragem, poeiras) contendem crómio

04 01 09

Resíduos da confecção e acabamentos

04 01 99

Outros resíduos não anteriormente referidos (classe 04 01)

04 02 09

Resíduos de materiais compósitos (têxteis impregnados, elastómeros, plastómeros)

Processos e critérios de admissão de resíduos no aterro

A admissão de resíduos no Aterro fica sujeita ao cumprimento dos procedimentos estipulados na Decisão do Conselho 2003/33/CE, de 19 de Dezembro de 2002, aos critérios de admissão definidos no Decreto-Lei n.º 152/2002, de 23 de Maio e às condições definidas no Regulamento Interno.

     
PLANO DE PREVENÇÃO DE RISCOS DE CORRUPÇÃO E INFRACÕES CONEXAS
CÂMARA MUNICIPAL DE FELGUEIRAS ATERRO DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS ECOCENTRO - S. JORGE DE VÁRZEA